post

A pílula rosa ou Viagra feminino não parece ser tão mágica assim…

Sugerida como o Viagra feminino, a medicação chamada flibanserina ( nome comercial Addyi) foi aprovada recentemente pela Agência Americana de Controle de Medicamentos (FDA) e começará a ser vendida brevemente. O medicamento estimula a libido das mulheres, no entanto, não tem efeito imediato e está associado à efeitos colaterais importantes, como desmaio, sonolência, pressão baixa e enjoos, além de interagir negativamente com o álcool.

Desenvolvida originalmente como medicamento para depressão, a flibanserina foi rejeitada pela FDA por ter mostrado pouca eficácia em testes clínicos, mas houve um efeito colateral inusitado notado durante a fase de pesquisa: as mulheres que tomaram a droga começaram a ter experiências sexuais mais satisfatórias.

dragrazielazanetti_addyi

 

As mulheres que participaram do estudo tinham uma média de dois a três “eventos sexuais satisfatórios” por mês no início do estudo. Quando começaram a tomar a droga, o número de relatos desse tipo aumentou, mas apenas em um a mais por mês, comparando-se com o grupo de mulheres que tomou um placebo.

A flibanserina trabalha corrigindo o desequilíbrio nos neurotransmissores cerebrais (não os únicos responsáveis pela libido),  aumentando a secreção de dopamina (que aumenta a excitação e o desejo sexual) e noradrenalina (que estimula a excitação e o orgasmo) e diminuindo a de serotonina (que, em excesso, inibe desejo e excitação e dificulta o orgasmo). Assim, auxilia no tratamento do distúrbio do desejo sexual hipoativo (HSDD, na sigla em inglês), de acordo com a Sprout Pharmaceuticals. O distúrbio afetara uma região do cérebro chamado córtex pré-frontal, responsável pelas tarefas do dia a dia, e com a correta dose destes neurotransmissores no cérebro, a usuária da droga ficaria mais aberta para o momento sexual e menos preocupada com questões cotidianas.

Mas a droga não funciona imediatamente, ao contrário do Viagra, que é ingerido pelos homens apenas quando se está prevendo uma relação sexual e funciona em poucas horas, a flibanserina deve ser tomada diariamente. Os efeitos podem ser percebidos depois de quatro semanas de tratamento, e de acordo com o laboratório, não há uma duração padrão do tratamento, que deve ser definida pelo médico de referência.

A avaliação médica é necessária para a exclusão de outras causas relacionadas à redução da libido, e é claro que, conhecer a si mesma, aceitar o próprio corpo e cuidar da autoestima influencia muito mais na libido e no prazer com sexo do que achar que a solução para a questão está nesta  “pílula mágica”

 

Imagens: Divulgação.
Vídeo: Rede Record.